Urbanismo virá sempre antes da obra, diz secretário Indio da Costa

Urbanismo virá sempre antes da obra, diz secretário Indio da Costa

Secretário expôs principais diretrizes de seu trabalho, que inclui até prevenir crimes           

Em seus primeiros dias à frente da Secretaria Municipal de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação, o secretário Índio da Costa admite que ainda está em processo de montagem de sua equipe, mas declara já ter as diretrizes básicas a serem seguidas: pensar a cidade a partir da perspectiva urbanística, avançar na regularização fundiária e integrar todos os projetos da secretaria à prevenção de crimes.

“Em três períodos, o último no governo [Luiz Paulo] Conde, a cidade era pensada a partir do urbanismo, antes de iniciar as obras. O Rio Cidade, por exemplo, retomou espaços que estavam entregues à desordem, graças a essa ideia de elaborar o projeto a partir dos aspectos urbanísticos. Nos mandatos do Eduardo [Paes], quase tudo do que foi feito havia sido pensado antes, alguns projetos eram da época do [Carlos] Lacerda”, afirmou Índio, em conversa com jornalistas na sexta-feira (13).

Segundo o secretário, esse foco no urbanismo poderia ter sido empregado no aumento do número de moradias na Zona Oeste, principalmente graças ao programa Minha Casa Minha Vida, criando alternativas de geração de empregos para evitar que a região se tornasse um mero “dormitório” e minimizar o impacto no sistema de transportes e no trânsito.

Índio da Costa disse que as obras realizadas pela prefeitura deverão ser pensadas também sob o conceito de arquitetura preventiva do crime. “A segurança do equipamento a ser construído deve ser pensada já na fase de projeto, que vai orientar a segurança a ser oferecida depois de construído. Um bom exemplo recente é o Maracanã, que antes demandava muitos homens para vigilância, devido aos muros baixos e ao grande número de acessos ao estádio. Isso mudou com a última reforma, facilitando o planejamento da segurança”, afirmou.

Promessa de menos burocracia e mais títulos de propriedade

A união de três secretarias – Obras, Habitação e Urbanismo – visa também o avanço na regularização fundiária, aproveitando a Medida Provisória publicada pelo governo federal no fim de dezembro. O secretário lembrou que cerca de 20% da população da cidade vive em comunidades, sem a propriedade do terreno.

“Vamos ter uma área na secretaria dedicada a essa questão, comandada por uma procuradora do município que se dedica ao tema. Vamos começar os estudos pelo Morro da Providência, a primeira favela da cidade, depois seguiremos para Mangueira, Salgueiro, Dendê, Serrinha, Alemão, Batam e Jacarezinho, entre outras comunidades”.

Outra meta da nova secretaria é reduzir a burocracia existente hoje para legalizar construções na cidade. Hoje é um processo que leva mais de um ano, o que certamente contribui para as invasões. “Não faz sentido levar tanto tempo para decidir se o sujeito pode ou não construir. Com a demora, a invasão e a irregularidade se consolidam e fica mais difícil desfazer depois”, disse Índio.

Conclusão do BRT Transbrasil

O secretário também não soube dizer quantas obras estão paralisadas atualmente no Rio. “Prefiro fazer essa conta direito e só depois dar essa informação”, justificou-se – e falou sobre a conclusão do corredor de BRT Transbrasil, cujas obras foram suspensas em julho de 2016, para a realização da Olimpíada, e deveriam ter sido retomadas em setembro. Segundo Índio, a orientação do prefeito Marcelo Crivella é para que a obra seja concluída.

“Em 60 dias saberemos como retomar as obras da Transbrasil. Hoje, 47% já foram executados e 53% do valor previsto no contrato já foi pago. Vamos nos reunir com o consórcio responsável pelo trabalho para que o corredor seja finalizado e entregue, até o início de março saberemos que caminho seguir”, afirmou Índio da Costa, que não soube dizer qual é a extensão da Transbrasil prevista no projeto: “Não sei se vai até o Caju ou até a Central do Brasil, preciso me informar sobre isso”.

Ainda sobre a Avenida Brasil, o secretário declarou que há intenção de revitalizar o entorno da via, possivelmente por meio de Parceria Público-Privada (PPP), para oferecer moradias de qualidade. Uma solução que pode ser adotada é a de lançar Certificados de Potencial Adicional de Construção (Cepac) para a área.

Fonte: G1 Rio

Foto: Alessandro Ferreira/G1

Indio da Costa participa de encontro com comerciantes em Madureira

Indio da Costa participa de encontro com comerciantes em Madureira

Indio vai intensificar o patrulhamento com guardas municipais em Madureira           

Candidato a prefeito do Rio pelo PSD, o deputado federal Indio da Costa participou nesta sexta-feira de um almoço com os lojistas no Mercadão de Madureira, na Zona Norte. Ele estava acompanhado de seu vice na chapa, o também deputado federal Hugo Leal (PSB), e da presidente nacional do PMB, Suêd Haidar. No encontro, Indio ouviu as principais reivindicações dos comerciantes da região. Entre elas, a falta de segurança e a desordem nas calçadas.

Indio fala com comerciantes sobre prioridades para Madureira
Indio fala com comerciantes sobre prioridades para Madureira

No discurso, Indio da Costa afirmou que para resolver os problemas apontados pelos lojistas intensificará o patrulhamento de guardas municipais. A corporação, segundo ele, será integrada à Secretaria municipal de Segurança pública, pasta que ele criará caso seja eleito. O candidato recebeu reclamações como assaltos, presença de usuários de drogas e ocupação irregular de vendedores ambulantes.

– A Guarda Municipal terá uma presença maior em Madureira. Além disso, usaremos tecnologia, incluindo câmeras de segurança de alta precisão para ajudar o ordenamento urbano. Assim, teremos uma maior fiscalização. Andar nas calçadas de Madureira hoje é uma aventura. Há uma grande rede, com alto lucro, que vendem os mesmos produtos dos comerciantes de forma irregular nas ruas sem pagar imposto. É uma concorrência desleal. Temos espaço para todo mundo trabalhar. Se eleito, vou organizar esse mercado informal. Já fiz isso em Copacabana e Leme, quando era administrador regional – ressaltou o deputado.

Só no Mercadão de Madureira existem pelo menos 600 lojas. De acordo com Pedro Silva, presidente da Associação Comercial do Grande Mercado de Madureira, passam pelo local cerca de 40 mil pessoas por dia. Em datas comemorativas, o número chega a 90 mil consumidores.

– Os camelôs precisam trabalhar, mas não podem quebrar o mercado formal. A fiscalização da prefeitura só passa uma vez por ano por aqui – disse a lojista Conceição da Silva, de 53 anos.

Indio da Costa apontou também como prioridades para Madureira a presença dos serviços essenciais aos moradores, como iluminação pública. Nesta sexta-feira, o deputado também fez uma caminhada pelo bairro do Méier, acompanhado de candidatos vereador da coligação.

 

Indio da Costa visita Rocinha no primeiro dia de campanha

Indio da Costa visita Rocinha no primeiro dia de campanha

O candidato à prefeitura do Rio pelo PSD, deputado federal Indio da Costa, visitou nesta terça-feira a Favela da Rocinha, na Zona Sul do Rio, em seu primeiro dia de campanha. Ele, que tem agendada outras visitas na comunidade, escolheu o local como um marco da cidade partida em que se transformou o Rio.

Do outro lado da Rocinha, fica São Conrado, com muitas oportunidades. Se eu for eleito prefeito, vou integrar a cidade.
“Se eu for eleito prefeito, vou integrar a cidade”.

Indio da Costa conversou com moradores, mototaxistas e comerciantes. O deputado destacou que sua prioridade, caso seja eleito, será a Segurança Pública. Além de contribuir no combate à violência, o candidato do PSD afirmou ainda que pretende gerar oportunidades de trabalho e renda.

– Do outro lado da Rocinha, fica São Conrado, com muitas oportunidades. Se eu for eleito prefeito, vou integrar a cidade. Não pode haver um Rio diferente do outro. A minha prioridade será a segurança pública. Mas não apenas com a guarda municipal requalificada e, sim, com educação de qualidade desde a infância – destacou Indio durante a caminhada.

Em 2013, o ajudante de pedreiro Amarildo de Souza desapareceu após ser levado por policiais militares para ser interrogado na sede da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) durante a Operação Paz Armada, de combate ao tráfico de drogas. Segundo o IBGE, a Rocinha possui cerca de 70 mil moradores.

Na visita, Indio da Costa caminhou por um mercado popular, o qual ajudou a regularizar quando foi secretário municipal de Administração e vereador.

Vou fazer o que for necessário para garantir serviços públicos, respeitando o dinheiro que o carioca paga de imposto - destacou Indio.
Vou fazer o que for necessário para garantir serviços públicos, respeitando o dinheiro que o carioca paga de imposto – destacou Indio.

– A Associação de Moradores de São Conrado era contra a regularização. Quem trabalhava aqui tinha medo de perder o seu trabalho. O tráfico também era contra. Mas, na época, enfrentei todos eles. Tirei do papel esta obra magnífica. Desde 2004, o projeto gerou emprego e renda para as pessoas – afirmou o candidato.
O deputado pediu votos ao lado de candidatos a vereador da coligação. Para Indio, garantir serviços públicos de qualidade também é fundamental.

– Vou fazer o que for necessário para garantir serviços públicos, respeitando o dinheiro que o carioca paga de imposto – destacou.

Jovens da Zona Norte reclamam da falta de emprego

Jovens da Zona Norte reclamam da falta de emprego

O desemprego afeta mais os jovens do que as demais faixas etárias, segundo dados da Pesquisa Mensal de Emprego divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A população que está entrando no mercado de trabalho, de 18 a 24 anos, já registra desocupação de 24,1% só no primeiro semestre deste ano.

Jovens reclamam da falta de emprego
Jovens reclamam da falta de emprego

—   Aqui  na comunidade não falta só emprego. O que falta é oportunidade, porque só precisamos de uma chance para estudar e ser alguém na vida e conquistar através do nosso próprio esforço –  relata Leonardo Nunes, de 21 anos, morador da Vila da Penha.
O depoimento foi durante encontro com o deputado federal Indio da Costa (PSD), que visitou a comunidade e conversou com os jovens sobre os problemas da região.

Na avaliação dos jovens, os governos – na esfera municipal, estadual e federal –  não investem em políticas públicas voltadas para a qualificação da juventude. Para a jovem Ana Paula dos Santos, de 22 anos, a presença do poder público reduziria os problemas da criminalidade.

Para a jovem Ana Paula, a presença do poder público reduziria os problemas da criminalidade.
Para a jovem Ana Paula, a presença do poder público reduziria os problemas da criminalidade.

—  O desemprego contribui para aumento da violência. É preciso ter mais oportunidades, pois o jovem tendo emprego não procura outras formas de se sustentar e ganhar dinheiro – diz a jovem.

Outro adolescente, que preferiu não se identificar, relata ainda que a entrada no tráfico é muitas vezes a única saída para quem não consegue trabalho.

As pessoas tentam, mas sem oportunidade acabam escolhendo outros caminhos. Afinal, todo mundo precisa colocar comida na mesa de suas famílias – constata o jovem.

Rio perdeu mais de 640 mil postos de trabalho. 

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregadora e Desempregados (Cadeg), de janeiro a maio, o Estado do Rio de Janeiro fechou 642.397 vagas. A maior perda, na capital fluminense, foi no setor de serviços e comércio.

No bate-papo com os moradores Indio da Costa disse que também é papel dos agentes políticos a preocupação de auxiliar o jovem na entrada do mercado de trabalho. Ele ainda afirma que a educação, por meio da formação pessoal e profissional é o melhor caminho para isso

—  A ideia é disponibilizar já no ensino fundamental um curso profissionalizante para a garotada. Abrir a escola para a sociedade e promover está integração– disse ele, sobre a necessidade de formar mão-de-obra qualificada para atender às demandas do empresariado da Zona Norte.

Para Indio, a ideia é disponibilizar já no ensino fundamental um curso profissionalizante para os jovens
Indio defende a ideia de disponibilizar já no ensino fundamental cursos profissionalizantes para os jovens